domingo, 18 de maio de 2014

Trilha Itiquira - Indaiá

Cerrado lindo! (10/maio)

Depois de 2 anos (isso porque é aqui perto!) voltei pra essa trilha, agora fazendo o caminho inverso, subindo Itiquira e seguindo para Indaiá.

Os dias nessa época do ano são absolutamente lindos!! Maio, céu azul, vento friozinho, água gelada, cerrado...perfeito!!!

Calliandra - flor símbolo do cerrado!

Fui com uma amiga de outras viagens, e mais 2 amigos. Todo mundo de boa, eu com o joelho direito bichado, mas deu pra encarar. Aliás, nunca vou pra trilha detonada e nunca me machuquei em trilhas e montanhas por aí...mas, essa aí tem histórias!

Prontos pra trilha...

O joelho bichado me fez descer a trilha, na volta, no maior esforço, praticamente só com a perna esquerda!! Esse joelho já detonou meu treino de maio L, e todo mundo acha que eu consegui essa façanha pegando pesado, mas não, torci numa aula de yoga!!!

Voltando pra trilha...fomos bem, apesar de alguns ‘desvios’ na ida ;). O cara do parque que fica na entrada da trilha, e pede pra assinar um termo de responsabilidade para entrar na pirambeira, disse que o tempo médio para chegar no rio é de 2h. A gente subiu em 10min, e chegamos no rio em mais 30min, parando para fotos, tranquilos...ou seja, 2h é D+++! Depois, a trilha entra num ‘plano’ margeando o rio, com descida/subida só para chegar nas cachoeiras. 

Logo depois da pirambeira...

Primeiro a Véu de Noiva, que eu chamava de Gêmeas (muuuito linda!), e depois a Indaiá. No caminho a gente só encontrou 2 grupos, um de caminhada com poucos colegas, e outro gigante, uma turma inteira de biologia de uma faculdade particular de Brasília. Mas, ficamos sozinhos o tempo todo na trilha.

Tem vários pontos assim na trilha...vale a pena sair cedo e programar mais paradas para aproveitar bem!

Gastamos muito tempo na ida porque fomos pelo lado esquerdo do rio, mas agora já aprendemos a trilha. O esquema é atravessar o rio logo acima da queda (Itiquira), num lugar rasinho, super tranquilo, e seguir sempre desse lado (direita, partindo de Itiquira!). Seguir pelo lado errado do rio é sempre um perrengue porque a trilha vai fechando em vários pontos, e fiz isso nas 2 vezes que estive lá, mesmo partindo de pontos diferentes.

Rio e cerrado.

Véu de noiva, ou Gêmeas ;)

Eu tava lá...

Outra dica é que é melhor partir de Indaiá...não tem controle para entrar na trilha, não tem hora para chegar (o parque de Itiquira fecha às 17h), e é muuuuito mais perto de Brasília do que chegar em Formosa/Parque Municipal de Itiquira (~115km). Essa trilha não tem erro porque é o tempo todo margeando o rio...se se afastar, procura o rio e segue! Saímos umas 9:40h, e voltamos umas 16:40h. Nesse horário já não dava pra comer nada por lá e fomos ‘almoçar’ em Formosa, no Casarão (muuuito bom!!).

Indaiá

A trilha deve ter uns 8/9km ida e volta. Parece pouco, mas isso não é um passeio no parque, que você faz em menos de uma hora! Para mim, que preciso comer toda hora J, sem levar vários lanchinhos e água não rola, mas, aí é com cada um. Bastante protetor solar, e os bastões de caminhada, para os joelhos bichados! No mais, só curtição ;)

168m de queda livre, MUITO linda!


2 comentários:

  1. Querida amiga, ler seus textos e saborear suas fotos é um bálsamo para essa vida cinzenta das cidades grandes.
    Somente não concordo com o "joelho bichado" pois ele sempre lhe leva onde você inventa de ir, seja morro acima ou abaixo, caminhando ou correndo. Cuida bem dele que lhe retribuirá com muitos passeios mais.
    Saudades! Muitas!
    Beijoooossssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudades tb Eli!!!! imagino, SP nessa época não é muito legal mesmo, e o céo azul daqui é impagável :) Mas, tb tenho saudades daí...aproveite as coisas boas e venha quando quiser para dar uma volta por aqui! Obrigada pelo carinho...tô cuidando do joelho, sei que ainda vou precisar muito dele :D. Bjs!!

      Excluir